1 de dezembro de 2009

Rio Paraíba do Sul: Notícias da Transposição

Fonte da Imagem: SOS Rios do Brasil

COMISSÃO AMBIENTAL SUL REÚNE PARLAMENTARES E SOCIEDADE CIVIL PARA DISCUTIR TRANSPOSIÇÃO DO RIO PARAÍBA DO SUL - VALE DO PARAÍBA FLUMINENSE - 01/12/2009

Cerca de 90 de pessoas entre parlamentares, representantes do poder público, da sociedade civil, também da Diocese de Nova Iguaçu-RJ, se reuniram no auditório da Cúria, da Diocese de Barra do Piraí Volta Redonda, com a presença do bispo diocesano Dom João Maria Messi (OSM), a fim de discutir e apresentar propostas concretas de ações em defesa do rio Paraíba do Sul que corre o risco com a segunda transposição.

Dom João Maria Messi abriu o encontro lembrando dos compromissos que cada cidadão precisa se conscientizar e mudar atitudes a respeito da natureza que é de Deus. “Nossa Comissão Ambiental conseguiu ser uma voz na região e agora ganhamos mais uma força em conjunto com o movimento O VALE NÃO ABRE MÃO”. Sem dúvida necessitamos de uma frente que atue em cada cidade, porque só assim conseguiremos barrar ações que não são favoráveis a população”, disse Dom João.

O presidente do Sindicato dos Engenheiros (Senge), João Thomaz apresentou dados sobre o abastecimento das bacias hidrográficas. “São 180 cidades banhadas pelo rio, sendo 88 em Minas Gerais , 53 no Rio de Janeiro e 39 em São Paulo. No quesito indústrias são: 4 mil no Rio, 2 mil em Minas e 3 mil em São Paulo. O esgoto industrial: 2,24 em SP, 11,14 no RJ e 0,27 em MG. Esgoto agrícola: SP 8.03, RJ 17,54 e MG 4,71. São 1 bilhão de litros de esgoto despejados no rio Paraíba do Sul” explicou João, informando que apenas o município de Pindamonhaga (SP) trata 100% do esgoto. “Não sabemos como ele vem suportando, pois está virando uma vala de esgoto, ainda mais com os acidentes com despejos de produtos químicos”, ressaltou João.

O secretário municipal de Volta Redonda, Carlos Paiva disse que o município trata 15% do esgoto, mas vem trabalhando com os recursos do PAC para chegar a 100%.

O debate várias propostas foram apresentadas como atividades com estudantes, capacitar os professores para desenvolverem consciência ambiental, palestras com alunos nas escolas sobre meio ambiente, manifestação, caminhada, ato público em defesa do rio e cobrar a presença do CEIVAP nas reuniões da Comissão Ambiental.

A assessoria de comunicação da diocese participou de um Seminário sobre Gestão das Águas em Igaratá (SP) e apresentou reportagem em vídeo, focando a participação dos estudantes na luta contra a transposição da Represa do Jaguari.

Os compromissos firmados no encontro foram: cobrar posicionamento do Ministério Público Federal em relação ao pedido de esclarecimento do estudo da transposição, participação do CEIVAP nas reuniões e informações mais apuradas dos recursos financeiros e repasses para os municípios.

A próxima Plenária Pública será no dia 15 de dezembro, às 9h, na Cúria Diocesana, e no dia 30/11/09 haverá a Benção pela Paz, às margens do Rio Paraíba na Vila Mury.

Vagner da asessoria de Comunicação da Diocese cf. Site da Diocese– 1/12/09

ET. D. João Messi elogiou a Vereadora Renata Paiva pelas articulações e conclamou os vereadores do Sul Fluminense a seguirem o seu exemplo. Foi aplaudido, pois apenas 3 vereadores estavam no recinto, sendo que são 12 cidades.


EM DEFESA DO RIO PARAÍBA DO SUL - VALE DO PARAÍBA PAULISTA - 30/11/2009

Lideranças políticas e religiosas e representantes de movimentos sócio-ambientais da região do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Serra da Mantiqueira e da Região Fluminense-RJ se uniram na noite de ontem. Dia 30/12, no plenário da Câmara de São José para discutir os impactos de uma possível transposição na Bacia do Paraíba. Cerca de 500 pessoas, dentre elas de 45 vereadores e 10 prefeitos da região e também uma comitiva de Volta Redonda, liderada pelo bispo D. João Maria Messi participaram do evento. Presente no encontro, o prefeito de São José, Eduardo Cury (PSDB) afirmou que embora não tenha tido acesso ao estudo, a possibilidade de transpor as águas do Paraíba é equivocada. "Penalizar quem faz o dever de casa é uma atitude equivocada e não resolve o problema da macrometrópole. Em São José estamos fazendo nosso dever de casa e até 2012 estaremos tratando todo o nosso esgoto." Segundo Cury, a retirada de águas do Paraíba podem prejudicar o crescimento da região. Para o prefeito de Jacareí, Hamilton Ribeiro (PT), falta presença esclarecedora do Estado sobre a transposição. "Não percebemos iniciativas do Estado em recuperar a bacia do Tietê. Hoje temos água sobrando, mas nas épocas de estiagem nossa capacidade diminui. Em Jacareí, obras de saneamento em realização vão tratar 70% do esgoto da cidade até 2011." A aliança em prol do Paraíba reuniu ainda os deputados Emanuel Fernandes (PSDB) e Marcelo Ortiz (PV) e os deputados estaduais Carlinhos Almeida (PT), Padre Afonso Lobato (PV) e a deputada Inês Pandelo (PT/RJ). "O problema é iminente e São Paulo tem que arrumar uma alternativa para abastecer a macrometrópole. É preciso tomar uma decisão agora e uma das possibilidades é a de sangrar as águas do Paraíba. Existe água disponível, mas o comprometimento com o Rio de Janeiro impossibilita", disse o deputado Emanuel. Para Carlinhos, o fórum mostrou que há um grande consenso contra uma possível transposição das águas do Paraíba. "O Estado não fez sua lição de casa ao cuidar de seus mananciais, então deve reaproveitar da melhor forma os recursos hídricos que dispõe por meio de leis e medidas administrativas."

1 comentários:

Cintia disse...

complicada essa questão...

Postar um comentário